Notícias de Política

ELEIÇÕES – Denunciado na Lava Jato, Valdir Raupp conta com memória curta do eleitor para voltar ao Senado

A tragédia política que se abateu sob Raupp poderá representar a oportunidade de mudança na representativa política de Rondônia em Brasília, a corrida já começou. 


Postado em 05/01/2018 às 11h22min

ELEIÇÕES – Denunciado na Lava Jato, Valdir Raupp conta com memória curta do eleitor para voltar ao Senado

Acusado de integrar a ponta de uma organização criminosa que desviou aproximadamente R$ 5 bilhões dos cofres da União, o senador rondoniense Valdir Raupp (PMDB) terá em 2018 um dos maiores desafios de sua carreira política, se reeleger após ser o alvo de uma série de denuncias envolvendo formação de quadrilha, desvio de dinheiro e recebimento de propina.

De acordo com a Procuradoria Geral da República, Raupp foi favorecido em esquemas diversos coordenados pelo PMDB, partido ao qual ele chegou ao posto de presidente nacional após a saída de Michel Temer. Homem de confiança do presidente do Brasil, Raupp assumiu o PMDB quando Temer venceu a corrida presidencial em conjunto com Dilma Rousseff (PT), caberia a Raupp dar seguimento as articulações do partido, que depois foram constatadas como criminosas pela Polícia Federal.

Assim como Temer, Valdir Raupp se fia no cargo e na sua imunidade parlamentar para não acabar nas mãos da Justiça comum, ou do próprio juiz Sérgio Moro, da Vara Federal em Curitiba, jurisdição da operação Lava Jato.

Porém, com o final de seu mandato datado para 31 de dezembro de 2018, Raupp está se vendo com a água chegando ao pescoço, e enxerga a sua reeleição como algo que precisa acontecer, pois se não retornar ao Congresso em 2019 será um cidadão como qualquer um e responderá por seus crimes em instancias inferiores de Justiça, correndo sério risco de acabar preso.

Em suas mangas, Raupp e sua equipe de campanha terão cartas que já podem ser consideradas como manjadas pela comunidade, o primeiro é a forte estrutura de sua campanha, entre as lideranças do partido que atualmente  manda no Brasil, Raupp terá aporte para uma parruda campanha, porém o eleitorado já mostrou que não se impressiona como em outros tempos, à exemplo estão candidatos que gastaram rios de dinheiro na última campanha e saíram-se perdedores.

O peemedebista também conta com o apoio e popularidade de Confúcio Moura (PMDB) em uma possível dobradinha do partido ao Senado, o fato é que Raupp poderá subtrair de Confúcio mais do que ele poderá somar à Raupp, é uma aposta de risco, onde o atual governador do estado apostaria todas as suas fichas guardadas após oito anos de mandato.

A principal esperança de Raupp e sua equipe de campanha será a famosa memória curta do eleitorado brasileiro, político há décadas, Raupp precisa se alertar sobre as mudanças nas comunicações e acessos às informações, com as redes sociais as acusações de Raupp serão amplamente compartilhadas e sua campanha poderá terminar sendo vexaminosa, já que Raupp vem sendo vaiado em grandes eventos dentro de Rondônia.

A tragédia política que se abateu sob Raupp poderá representar a oportunidade de mudança na representativa política de Rondônia em Brasília, a corrida já começou.

Fonte: JH Notícias



MAIS NOTÍCIAS DE Política