Search
Close this search box.

OPINIÃO E POLÍTICA – Após vaia vergonhosa Hildon Chaves não terá palanque em 2018 – Por João Paulo Prudêncio

João Paulo Prudêncio é jornalista e editor de política do jornal eletrônico JH Notícias e atua no jornalismo rondoniense há mais de dez anos. Informações e contato com a coluna através dos telefones: (69) 99230-0591 (Watssap) e (68) 99217-1709.
Publicidade

Publicado

O governador Confúcio Moura publicou no Diário Oficial a exoneração do recém empossado Comandante da Polícia Militar do estado de Rondônia, Coronel Ronaldo Flores Correa, notícia que deixou muita gente surpresa, isso devido ao fato do oficial ter ficado menos de uma semana na cadeira. A reversão do comando da PM/RO ocorreu logo após o anúncio extraoficial de que Confúcio desistiria da corrida ao Senado e permaneceria até o final de seu mandato de governador.

Publicidade

Acordos 

A nomeação do Coronel Ronaldo era fruto da transição de governo que já estava acontecendo com a virtual renúncia de Confúcio para buscar uma vaga de Senador por Rondônia. Essa medida apontou para uma eleição sem Confúcio em 2018, e tirando toda a força política que Daniel Pereira já sentia em suas mãos.

Governo 

Com o retorno de Confúcio dando as ordens no palácio do governo, Daniel Pereira sentiu sua possível candidatura ao posto maior do executivo do estado simplesmente passar de concreta para volúvel, uma vez que ficando o quadro da forma como está, não tema a máquina ao seu lado.

Aos leões 

Dando ordens à torto e a direita nas últimas semanas, Daniel Pereira foi jogado aos leões com o ressurgimento de Moura, que o colocou em seu devido lugar na ordem governamental. Certamente Pereira já havia firmado uma série de acordo e entrelaçamentos políticos levando em consideração a candidatura do governador.

Sem amor 

Esse fato ruiu a imagem passada nos últimos quatro anos de que Confúcio e Daniel eram grandes amigos e geriam o estado de forma participativa, mentira! Se houvesse amizade ou o mínimo de respeito, as alianças entre ambos já estariam articuladas e o projeto de eleição de Daniel colocado em prática.

Vaia monumental 

O prefeito Hildon Chaves (PSDB) tomou uma vaia daquelas de ficar deprimido por uma semana, a cena constrangedora foi registrada no jogo beneficente ocorrido no estádio Aluízio Ferreira neste último final de semana. Contando com a participação dos políticos e ex-atletas Romário e Popó, a casa estava cheia e serviu como termômetro do que virá pela frente para chefe do município da capital rondoniense.

Distância 

Nem o carisma dos irmãos Mauricio e Mariana Carvalho foi capaz de amenizar a bronca dos portovelhenses com o prefeito. Com Mariana mirando o retorno ao Congresso e Maurício um gabinete na ALE/RO, os jovens políticos deverão ficar longe do prefeito no pleito 2018 caso o clima entre Hildon e a população continue pesado.

Sem palanque 

Como Hildon não conseguiu convencer a comunidade com seu trabalho faltando poucos meses para o pleito de 2018, certamente não terá palanque em 2018, ou seja, nenhum candidato, mesmo seus aliados tucanos ou até assessores da prefeitura, irão correr o risco de tomar vaia em pleno comício, a situação tá feia para o ex-promotor.

Pagar bagagem 

A resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que permitiu a cobrança pelas bagagens despachadas nos aviões será tema de debate na terça-feira (6). Três comissões farão audiência pública em conjunto para avaliar o impacto que a autorização causou nos preços das passagens. Havia a promessa de queda dos valores, o que não ocorreu, como destacam autores dos requerimentos para a audiência pública.

A Coluna 

João Paulo Prudêncio é jornalista e editor de política do jornal eletrônico JH Notícias e atua no jornalismo rondoniense há mais de dez anos. Informações e contato com a coluna através dos telefones: (69) 99230-0591 (Watssap) e (68) 99217-1709.

Fonte: JH Notícias

Anúncie no JH Notícias