Search
Close this search box.

OPINIÃO E POLÍTICA – Condenados serão protagonistas na corrida ao governo de RO – Por João Paulo Prudêncio

João Paulo Prudêncio é jornalista e editor de política do jornal eletrônico JH Notícias e atua no jornalismo rondoniense há mais de dez anos. Informações e contato com a coluna através dos telefones: (69) 99230-0591 (Watssap) e (68) 99217-1709.
Publicidade

Condenado 

A decisão da primeira turma do Supremo Tribunal Federal – STF, que condenou o senador Acir Gurgacz (PDT) há quatro anos e seis meses de prisão por crime contra o sistema financeiro, pode representar uma reviravolta no cenário político local, que já se articulava com a real possibilidade do senador ser candidato ao governo.

Publicidade

Fim do sonho

Além da prisão, a condenação também determina a perda dos direitos políticos, fato que poderá obliterar de uma vez por todas as chances de Gurgacz disputar a cadeira de chefe do poder executivo rondoniense, cargo sonhado há muitas décadas pela família do senador, sendo que esse ano seria a chance mais plausível de ser realizar, já que Gurgacz vinha somando forças e articulações dentro do próprio governo estadual.

Rindo a toa 

Quem deve estar com o sorriso de orelha à orelha é o também condenado senador Ivo Cassol (PP), que recentemente travou debates acalorados e até trocas de acusações de crimes com Gurgacz. Cassol também é pré-candidato ao governo e recentemente foi considerado culpado pelas instancias superiores de Justiça por crime envolvendo mau uso do erário.

Aberto 

O fato é que o vice-governador, Daniel Pereira (PSB), que estava com sua candidatura ao governo na geladeira em decorrência de uma aliança de sua legenda com o PDT, teve o caminho aberto para pleitear a permanência de mais quatro anos no cargo. Durante uma possível candidatura, Daniel estará na cadeira de governador e se Gurgacz não sair, terá o seu apoio incondicional.

Mas se for

Porém, o exemplo de Cassol será seguido por Gurgacz, que certamente irá até o limite de suas forças para manter a candidatura. Fato que colocará a corrida ao governo de Rondônia em um triste cenário, pois será um cargo onde a maioria de seus postulantes estão na condição de condenados pela justiça.

Os nomes 

Além dos condenados Cassol e Gurgacz, outro condenado que também passou pelo senado analisa uma candidatura ao governo, o tucano Expedito Júnior, que perdeu o seu mandato após acusações de compra de votos. Caso essas candidaturas se confirmem esses três nomes deverão protagonizar a campanha em 2018, ou seja, a disputa ao governo ficará nas mãos de condenados do Supremo.

Unânime

Os vereadores da capital bateram o martelo e irão colocar um ponto final à imoral cobrança de R$ 30 para a emissão de carteira estudantil que dá acesso ao direito da meia passagem de ônibus. Essa cobrança vem sendo recebida com revolta pela comunidade que deverá marcar presença massiva nesta quarta-feira (28) no plenário da casa de leis do município, durante a realização de uma Audiência Pública sobre o tema e votação da derrubada da cobrança proposta pelo vereador Marcelo Cruz.

Belmont

Uma força tarefa precisa se montada para resolver o eterno problema de acessibilidade da Estrada do Belmont em Porto Velho, vital para a economia do estado, pela estrada passam uma infinidade de carregamentos escoados pela hidrovia do rio Madeira. É vergonhoso que o local fique na situação em que se encontra, algo precisa ser feito e com urgência.

Vergonha

O Ministério do Trabalho incluiu o lobby na Classificação Brasileira de Ocupações, sob o nome de “profissional de relações institucionais e governamentais”. Mas a medida não significa a regulamentação dessa atividade que visa influenciar votações de leis em prol de determinados setores.

A Coluna 

João Paulo Prudêncio é jornalista e editor de política do jornal eletrônico JH Notícias e atua no jornalismo rondoniense há mais de dez anos. Informações e contato com a coluna através dos telefones: (69) 99230-0591 (Watssap) e (68) 99217-1709.

Fonte: JH Notícias

Anúncie no JH Notícias