Search
Close this search box.
Publicidade

Produção de café atinge recorde positivo e mantém Rondônia em destaque nacional

Confira as notas do dia, por Cícero Moura.
Publicidade

LANÇAMENTO

Para tornar a hora do café ainda mais especial e cheia de energia, a Mais1.Café, uma das maiores redes de cafeterias do Brasil, lança o Super Energy, o primeiro SuperCafé da franquia.

Publicidade

SABOR

O novo produto, feito com café de Rondônia, poderá ser encontrado nas unidades da rede em uma embalagem de 220g com 22 doses para fazer em casa, e também em versão shot, onde o cliente pode consumir uma dose individual, preparado com leite ou água pelos baristas da cafeteria para consumo imediato.

VIGOR

O objetivo da franquia com essa bebida estimulante é entrar neste grande mercado de SuperCafés por meio de uma combinação de ingredientes energéticos como taurina, cafeína, L-carnitina e vitaminas A a Z.

“ANTENADO”

Com esta composição, o suplemento alimentar à base de café traz mais disposição e foco para o dia a dia. O produto foi pensado para atender a necessidade dos consumidores, priorizando a qualidade e o sabor da bebida.

RECORDE

Falando em café, com mais de 95% do café já colhido no final de agosto, a safra de 2023 do grão está estimada em 54,36 milhões de sacas.

AUMENTOU

O volume representa um crescimento de 6,8% em relação à colheita registrada em 2022. Além de ser um recorde para um ano de bienalidade negativa, essa é a terceira maior safra já colhida no país, atrás apenas dos anos de 2018 e 2020 ambos de bienalidade positiva.

CONAB

Os dados estão  no 3º levantamento da cultura, divulgado nesta quarta-feira (20) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Se a estimativa para este ano for comparada com o volume colhido na safra de 2021, último ano de bienalidade negativa, o aumento chega a ser de 13,9%.

RECUPERAÇÃO

Neste ano, a expectativa é de uma recuperação para o desempenho do café arábica. De acordo com os dados da Conab, a colheita desta espécie do grão deve chegar a 38,16 milhões de sacas.

LAVOURA

A alta é reflexo de um incremento de 2,4% na área em produção, aliado ao ganho estimado em 13,9% na produtividade, influenciado pelas condições climáticas mais favoráveis em relação às últimas duas safras.

ÁREA

O documento também mostra que a área total destinada à cafeicultura no país em 2023, para o arábica e conilon, totaliza 2,24 milhões de hectares, sendo com 1,88 milhão de hectares em produção, com crescimento de 1,9% em relação ao ano anterior, e 362,5 mil hectares em formação, com redução de 9,3%.

MERCADO

No acumulado de janeiro a agosto deste ano, o Brasil exportou 22,9 milhões de sacas de 60 kg, segundo dados consolidados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

LGBTQIA+

Após oito anos, a Marcha Municipal LGBTQIA+ pela Diversidade Sexual de Porto Velho está de volta, em sua 7ª edição. O lançamento oficial aconteceu na última segunda-feira (18), na Casa de Cultura Ivan Marrocos.

TEMA

Nesta edição, o tema é “Meu Corpo, Minha Existência. Toda mulher tem direito a uma vida sem violência”. Com a presença de ativistas e defensores da comunidade LGBTQIA+, foi anunciada a data de 24 de setembro, na Praça das Três Caixas D’água, com concentração às 15 horas.

DEFESA

De acordo com Raymisson Corrêa, um dos responsáveis pela organização, a luta pela igualdade e pelos direitos LGBTQIA+ é uma jornada que não pode ser silenciada e que toda sociedade tem o dever todo e qualquer tipo de violência.

PONTE

O Departamento de Infraestrutura e Transportes (Dnit) suspendeu o edital de licitação para início das obras da ponte binacional em, Guajará-Mirim, por exigência dos bolivianos.

DIÁRIO

O decreto de suspensão foi publicado no Diário Oficial no mês passado.

JUSTIFICATIVA

A Bolívia quer manter a navegação plena do Rio Mamoré, e isso implicaria em aumentar a extensão da ponte de 120 para 180 metros, o que segundo o DNIT, levaria pelo menos mais dois anos para que um novo projeto seja elaborado.

CONFIRMAÇÃO

A informação foi confirmada pela assessoria do senador Confúcio Moura. O parlamentar argumentou que o governo brasileiro está negociando com a Bolívia e que a licitação deverá ser retomada

POLÍTICA

O deputado federal Lúcio Mosquini, que também acompanha o projeto, disse que a questão na Bolívia é de política interna por conta de uma disputa do governo de Beni com o governo central.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias