Sexta-Feira, 15 de Novembro de 2019

Notícias de Política

“Só quem perde é o povo de Rondônia com crise institucional”, afirma Bosco da Federal

A incerteza sobre quem de fato será o governador de Rondônia até o final do ano vem acarretando uma série de prejuízos, segundo Bosco da Federal, é necessário que a população analise bem essa reflita a necessidade de mudança no momento de escolher seus próximos representantes.

Postado em 06/03/2018 às 17h32min


“Só quem perde é o povo de Rondônia com crise institucional”, afirma Bosco da Federal

A proximidade do período eleitoral vem deixando os representantes públicos rondonienses à flor da pele, tramas, traições, trapaças e até ações ilegais, aliado à uma indefinição sobre qual será o rumo que o poder executivo irá tomar até o final do ano, são os fatores que fazem a comunidade ficar atônita e o estado travado.

Nas últimas horas um clima de guerra se instalou entre os poderes e o cenário se agravou mais ainda, isso após a nomeação relâmpago do Comando da PM, que durou apenas cinco dias. Para o ex-vereador da capital e diretor do sindicato da Polícia Federal em Rondônia, Bosco da Federal, o único que perde com essas crises é o estado de Rondônia, e consequentemente sua comunidade.

Bosco da Federal afirmou que enquanto as pessoas que deviam cuidar de Rondônia se comem vivo em praça pública sob o olhar de toda a população, as ações do estado ficam travadas e o medo do incerto é sentimento que permeia em toda a volta. Brigas que tiram a credibilidade e a força do estado.

“Essa situação coloca Rondônia mais uma vez como motivo de chacota no cenário nacional, um estado promissor e cheio de perspectivas que fica entrevado nas mãos de pessoas que parecem apenas se preocupar com o poder, sendo capaz de qualquer coisa, até deixar a mercê da onda que vier”, disse Bosco da Federal.

A incerteza sobre quem de fato será o governador de Rondônia até o final do ano vem acarretando uma série de prejuízos, segundo Bosco da Federal, é necessário que a população analise bem essa reflita a necessidade de mudança no momento de escolher seus próximos representantes.

“Precisamos de seriedade, operações como a Lava Jato, por exemplo, depende muito do apoio da comunidade, Rondônia é grande demais para se apequenar frente à picuinhas de bastidores, somos fortes e destemidos pioneiros, chegou a hora de mudar essa triste situação e caminharmos à passos largos rumo ao progresso que nosso estado pode e merece”, finalizou Bosco da Federal.

Fonte: Assessoria