CORONAVÍRUS – 26 profissionais de saúde com suspeita ou infectados são afastados do trabalho

Rondônia - sexta-feira, 17/04/2020 às 14h53min
CORONAVÍRUS – 26 profissionais de saúde com suspeita ou infectados são afastados do trabalho

Os profissionais de saúde afastados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) não contrariam o coronavírus no ambiente de trabalho. A informação do afastamento foi dada em coletiva de imprensa na sexta-feira (17), em Porto Velho, pelo Secretário da pasta, Fernando Máximo.

Foram 26 profissionais da rede estadual de saúde afastados preventivamente dos cargos por estarem com Covid-19 ou com suspeita de terem contraído a doença. Sendo que destes, seis já estão positivados, os outros apresentam sintomas.

De acordo com o diretor da unidade onde estão lotados esses servidores, Amaury Apolônio de Oliveira Júnior, no momento em que foi informado dos casos, a medida de afastamento foi imediata, fazendo a relação de todos que tiveram contato com o primeiro paciente confirmado com a doença.

“Assim que fomos informados do processo epidemiológico dos servidores e que apresentaram os sintomas, adotamos a medida preventiva de afastamento, independente do resultado, e pedimos para ser realizada a desinfecção de toda a unidade, e monitoramento dos outros servidores”, disse o diretor geral.

Ainda de acordo com Amaury Júnior, os pacientes no qual possivelmente tiveram contato com esses servidores, também estão sendo monitorados.

“Cada paciente que teve contato com qualquer desses 26, está sendo cuidadosamente monitorando. Estamos tomando todas as medidas possíveis de prevenção”, frisou.

O secretário da Sesau, Fernando Máximo, lamentou o ocorrido, pois são servidores que estão à frente dessa pandemia. “É muito triste em um momento como esse, os combatentes terem que deixar a guerra, pois irão fazer falta. Precisamos nos unir e juntar forças, e informo ainda que já lançamos o quarto edital de convocação para mais de 120 profissionais de saúde e demais profissionais que vão reforçar o combate a pandemia”.

Por Secom


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email