Search
Close this search box.
Publicidade

EM RONDÔNIA – Três bovinos morrem de carbúnculo sintomático

A doença, causada pela bactéria Clostridium chauvoei, foi confirmada após um estudo clínico conduzido por autoridades agropecuárias
Publicidade

Três bovinos fêmeas morreram recentemente devido ao carbúnculo sintomático em propriedades localizadas no município de Theobroma, a aproximadamente 35 km de Jaru, Rondônia. A doença, causada pela bactéria Clostridium chauvoei, foi confirmada após um estudo clínico conduzido por autoridades agropecuárias.

Eron Bezerra, fiscal agropecuário da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) em Jaru, relatou que a investigação foi iniciada após receber uma denúncia sobre as mortes. “É uma doença endêmica no estado, e nessa região já houve outras ocorrências em anos anteriores. Na verdade, essa doença tem aumentado nos últimos anos, porque com a retirada da vacina, muitos produtores pararam de levar o animal para o curral para fazer o manejo e deixaram de vacinar”, afirmou Bezerra.

Publicidade

O carbúnculo sintomático é uma ameaça significativa para a criação de bovinos devido à sua rápida progressão e alta taxa de mortalidade. A doença contamina o ambiente, deixando o solo infectado, o que pode afetar outros animais que passem pelo local. Portanto, é essencial que os produtores removam imediatamente os bovinos do pasto contaminado ao primeiro sinal da doença.

Os sintomas do carbúnculo sintomático incluem apatia, dificuldade em acompanhar o rebanho, claudicação (manqueira) e inchaços. Sem intervenção, os animais tendem a sucumbir entre 12 a 36 horas após a contaminação. Dada a gravidade da situação, a identificação precoce é crucial para iniciar a vacinação do rebanho e incorporar essa prática ao manejo sanitário das propriedades.

A doença geralmente afeta bovinos jovens, entre seis meses e dois anos de idade, e possui grande impacto econômico na pecuária. A vacinação é a principal medida preventiva contra o carbúnculo sintomático, e a reintrodução desse manejo pode ajudar a controlar a disseminação da doença.

A Idaron e outras autoridades sanitárias reforçam a importância da vacinação regular dos rebanhos para prevenir novas ocorrências e garantir a saúde dos animais e a segurança dos produtos agropecuários na região.

Anúncie no JH Notícias