Search
Close this search box.
Publicidade

Governo de Rondônia discute saúde pública durante Encontro de Fronteira entre Brasil e Bolívia

Cerimônia de abertura reuniu autoridades brasileiras e bolivianas para discutir saúde pública
Publicidade

Com o objetivo de alinhar políticas de saúde pública para o enfrentamento de doenças sexualmente transmissíveis e hepatites virais em Rondônia e municípios fronteiriços com a Bolívia, o Governo de Rondônia, por meio da Agência de Vigilância em Saúde – Agevisa promove o Encontro de Fronteira entre Brasil e Bolívia e retoma os trabalhos do Comitê Interfronteiriço de IST, DST/Aids e Hepatites Virais.

O encontro foi aberto na manhã da quinta-feira, 13, no auditório do Rondon Palace Hotel e segue até a tarde desta sexta-feira. A cerimônia de abertura reuniu autoridades brasileiras e bolivianas.

Publicidade

O secretário de Estado da Saúde, Jefferson Ribeiro da Rocha, destacou sobre a publicação do edital para a conclusão do Hospital Regional de Guajará-Mirim, com capacidade para 50 leitos, mais duas salas de cirurgias, laboratório, entre outros. Segundo o secretário, o objetivo é unir esforços para atender indígenas, ribeirinhos, quilombolas e comunidades da região fronteiriça.

A gerente técnica em Epidemiologia da Agevisa, Arlete Baldez apresentou um retrospecto do trabalho iniciado em 2014, em princípio, para conhecer o número de pacientes portadores de IST, HIV/Aids e hepatites virais e onde eram tratados. Isso porque há brasileiros tratados na Bolívia e vice-versa. O objetivo é definir linhas comuns de ação nas áreas fronteiriças, e tentar manter os pacientes com a carga viral mais baixa possível.

De 2019 a agosto de 2021, os trabalhos foram praticamente interrompidos, devido à pandemia do coronavírus. Quando a relação foi retomada, criou-se o projeto Acelera Fronteira, envolvendo os nove municípios rondonienses fronteiriços com a Bolívia, o que permitiu entre outras situações, realizar campanhas de vacinação simultâneas, nos dois lados da fronteira.

O diretor-geral da Agevisa, Gilvander Gregório de Lima disse que, em menos de um mês foram aplicadas 28 mil doses de vacina. “Os problemas nas regiões de fronteira são muito parecidos, por isso precisamos de ações articuladas”, enfatizando que, após este encontro, serão publicados boletins periódicos, informando o que cada lado está fazendo para oferecer melhor qualidade de saúde aos seus cidadãos”.

Na tarde desta sexta-feira será lançada a Carta de Rondônia, com as respectivas responsabilidades de cada ator nesse processo que envolve os três níveis de governo, tanto brasileiro quanto boliviano.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias