Search
Close this search box.

Maternidade Municipal de Porto Velho passa a funcionar no prédio ao lado para conclusão da reforma

Novo local de atendimento passa a ser realizado no imóvel vizinho, onde funcionava o Centro de Referência em Saúde da Mulher
Publicidade

A grande obra de reforma e ampliação da Maternidade Municipal Mãe Esperança (MMME) entra em uma nova etapa. Com o avanço dos trabalhos, os atendimentos da unidade serão transferidos, provisoriamente, para o prédio ao lado, onde ficavam as instalações do Centro de Referência de Saúde da Mulher (CRSM) e do Centro Integral Materno Infantil (CIMI).

O novo local continua na Rua Venezuela, nº 2356 – Embratel, e já começa a funcionar a partir da próxima semana.

Publicidade

Todos os serviços como assistência ao pré-parto, parto e puerpério; cirurgias; trabalho de parto; vacinação; acolhimento; atendimento a mulheres vítimas de violência sexual; entre outros, foram direcionados para a nova unidade, no prédio ao lado.

Com a transferência total dos atendimentos, o prédio da Maternidade Municipal não realizará nenhum serviço durante o período da grande obra de reforma e ampliação da unidade, que já está 67% executada.

Segundo a secretária adjunta da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Marilene Penati, a iniciativa é necessária e fundamental para garantir uma saúde de qualidade às mulheres e aos bebês.

O prédio onde a Maternidade Municipal vai funcionar provisoriamente passou por melhorias estruturaisO prédio onde a Maternidade Municipal vai funcionar provisoriamente passou por melhorias estruturais

“Sem dúvidas que esse trabalho é muito importante. Nossa maternidade está passando por essa grande obra, tudo isso para que as nossas mamães sejam melhor atendidas. Além disso, essa mudança é necessária para que todos consigam ter um atendimento de qualidade e o prédio onde ficavam as instalações do Centro de Referência de Saúde da Mulher e do CIMI foi totalmente adaptado para oferecer os serviços de maternidade padronizado”, pontuou Marilene.

O prédio onde a Maternidade Municipal vai funcionar provisoriamente passou por melhorias estruturais, revitalização e adaptação. Recebeu equipamentos e todas as ferramentas para atender as gestantes, mulheres vítimas de violência sexual, entre outros. O atendimento de urgência e emergência para as gestantes continuará sendo oferecido também no novo local.

Grande obra na Maternidade Municipal

Os trabalhos de reforma e ampliação da MMME seguem a todo vapor. Os serviços são realizados em diferentes eixos e contempla, entre os serviços, construção de laboratório de análise clínica, auditório, novas alas com sala de enfermagem com posto para atendimentos e acolhimento de gestantes, reforma e ampliação do centro cirúrgico e muito mais.

Para evitar grandes transtornos aos pacientes, toda a parte estrutural externa e os novos prédios foram edificados com os atendimentos funcionando normalmente no prédio. Porém, com 67% dos trabalhos executados, chegou o momento da obra acontecer internamente, onde, de fato, os pacientes são atendidos, como nos centros cirúrgicos e leitos de enfermaria.

CRSM oferece serviços de média complexidade e especializados a pacientesCRSM oferece serviços de média complexidade e especializados a pacientes

Centro de Referência de Saúde da Mulher e CIMI

A mudança da Maternidade afetou também os serviços do Centro de Referência de Saúde da Mulher e do CIMI, que passaram a funcionar no 2° andar do prédio localizado na Rua Dom Pedro, n.º 2687, bairro São Cristóvão.

Referência no atendimento às mulheres, o CRSM oferece serviços de média complexidade e especializados a pacientes, tais como: consultas ginecológicas, introdução do dispositivo intrauterino (DIU), preventivos, tratamento da saúde da mulher, entre outros.

Já o CIMI atua na assistência para gestantes de alto risco e cuidado às crianças de zero a dois anos com condições de saúde de alto risco.

Ambos, CRSM e CIMI funcionam através da Central de Regulação da Semusa, ou seja, o paciente passa primeiramente pela consulta com o médico clínico geral na unidade básica e, conforme a necessidade, será encaminhado para o serviço especializado.

Anúncie no JH Notícias