Reativação das usinas de nitrogênio garante a retomada do melhoramento genético do rebanho rondoniense

Rondônia - segunda-feira, 10/02/2020 às 15h34min • Atualizado 14/02/2020 às 14h26min
Reativação das usinas de nitrogênio garante a retomada do melhoramento genético do rebanho rondoniense
Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.

Rondônia é o maior produtor de leite da região norte e o quarto exportador de carne bovina do país, mas, estas posições podem melhorar ainda mais, com os investimentos que estão sendo realizados pelo governo estadual e também pelos produtores, para facilitar as práticas de melhoramento genético do rebanho rondoniense.

Produção de mais de cinco mil litros de nitrogênio por mês.

“As duas usinas de produção de nitrogênio líquido que estavam paradas há mais de dois anos, foram recuperadas e postas em operação”, disse o diretor-presidente da Emater-RO, Luciano Brandão, em discurso durante a cerimônia de recebimento de veículos e outros equipamentos de infraestrutura, entregues à Emater-RO pelo governo estadual, em Ouro preto do Oeste, na quinta-feira (6).

As usinas de produção de nitrogênio líquido são fundamentais para o desenvolvimento do projeto de melhoramento genético do governo, através de inseminação artificial ou reprodução in vitro. Os sêmens e os embriões devem ser armazenados em botijas resfriadas a temperaturas abaixo de 180 graus negativos, condição essa alcançada apenas através do uso de nitrogênio líquido.

A prática de reprodução assistida mais comum entre os produtores rondonienses é a inseminação artificial, incentivada por um projeto oficial, chamado projeto Inseminar, mantido pela Secretaria de Estado da Agricultura e executado pela Emater-RO.

Em um levantamento da demanda dos produtores de leite assistidos pela Emater-RO por nitrogênio, foi verificado que a necessidade é de 2.267 litros por mês e a capacidade instalada das usinas da Emater-RO é mais que o dobro disso. Considerando-se a média de produção de oito litros por hora e 12 horas de funcionamento por dia, em 20 dias de funcionamento, chega-se a uma produção de 5.760 litros de nitrogênio. Portanto em um mês é produzido o suficiente para atender, com folga, os produtores rurais e instituições parceiras.

Como nem todos os produtores realizam a reprodução assistida, através da inseminação artificial, a Emater-RO mantém uma parceria com a Associação dos Criadores de Zebu (ABCZ), para incentivar também o melhoramento genético através da monta natural, utilizando-se touros de alto potencial genético, provados em testes andrológicos. A Emater-RO, nesta parceria, realiza um levantamento da demanda dos produtores por touros melhorados e informa o projeto Pró-genética da ABCZ, que tem a função de juntar os pecuaristas interessados em comprar touros e os criadores de animais de alto padrão genético (vendedores). Estes encontros podem acorrer em eventos da extensão rural, em feiras agropecuárias, na Rondônia Rural Show ou nas rodadas de negócios que a antecedem, feira qu acontece anualmente na última semana de maio.

Por Secom


Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.