Search
Close this search box.

Grávida luta por cirurgia de bebê com “síndrome do meio coração”

Familiares e amigos organizaram vaquinha pela internet e entraram na Justiça para plano de saúde pagar tratamento da síndrome cardíaca grave
Publicidade

Kamylla Santos estava no penúltimo mês de gravidez quando descobriu que o bebê Arthur Gabriel tinha uma síndrome grave conhecida como “meio coração” e que precisava de cirurgia urgente assim que nascesse.

O procedimento médico e tratamento são bastante caros e feitos em um hospital de São Paulo. A família vive em Pires do Rio, cidade no interior de Goiás, a 145 km de Goiânia.

Publicidade

Desde a descoberta da doença no bebê, a síndrome da hipoplasia do coração esquerdo, familiares e amigos de Kamylla realizam uma campanha pela internet para conseguir arrecadar dinheiro para o tratamento.

Além disso, a grávida entrou na Justiça para que o Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo) pague a cirurgia. O cálculo é que todo o tratamento fique em torno de R$ 2 milhões.

Trabalho de parto
No entanto, houve uma reviravolta nessa luta. Kamylla estourou a bolsa na noite de quinta-feira (4/3) e foi internada no Hospital Amparo, em Goiânia.

Ela e o bebê estão em observação, enquanto aguardam os trâmites burocráticos para seguir até São Paulo, segundo o esposo de Kamylla, Edgar Dias Ferreira Alves. O Ipasgo teria garantido que vai pagar os custos.

“Está nas mãos de Deus. Estamos fazendo de tudo para ir para São Paulo, para que o nascimento seja lá. Disseram que vão pagar. Tomara. Estão nos dando assistência. Ainda não temos previsão, mas estamos correndo atrás, ligando e insistindo”, relatou Edgar ao Jornal.

Como doar para a família:

Chave PIX: (64) 999319189

Nome: Edgar Dias Ferreira Alves

Eles também podem ser encontrados no Instagram

Anúncie no JH Notícias