Search
Close this search box.
Publicidade

TJ-RO confirma condenação de policiais por cobrança de propina para liberar madeira ilegal em Reserva Extrativista

Essa decisão do TJ-RO reforça o compromisso das instituições em combater a corrupção e preservar o patrimônio ambiental do estado
Publicidade

O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) ratificou a condenação de dois policiais militares envolvidos em um esquema de corrupção durante a fiscalização na Reserva Extrativista (Resex) Aquariquara, situada em Machadinho d’Oeste (RO).

De acordo com os autos do processo, os policiais, que estavam incumbidos de monitorar as atividades na área ambiental, exigiram o pagamento de R$ 3 mil de dois madeireiros para permitir a circulação de madeira sem a devida documentação e autorizar a entrada de tratores na reserva.

Publicidade

A descoberta do esquema ocorreu quando outros policiais, que não estavam envolvidos na prática criminosa, abordaram e detiveram três indivíduos, os quais confessaram o acordo ilícito com os policiais corruptos.

Como resultado, os condenados receberam uma pena de 2 anos, 4 meses e 24 dias de reclusão, com o cumprimento em regime domiciliar.

A Reserva Extrativista Aquariquara, que abrange cerca de 18 mil hectares, foi estabelecida pelo decreto nº 7.106 de 4 de setembro de 1995, com o objetivo de proteger o meio ambiente e garantir a sustentabilidade das atividades extrativistas na região.

Essa decisão do TJ-RO reforça o compromisso das instituições em combater a corrupção e preservar o patrimônio ambiental do estado. A punição dos policiais envolvidos é um passo importante na promoção da integridade e na garantia da legalidade nas atividades de fiscalização ambiental, demonstrando a aplicação da lei como forma de proteger as reservas naturais e coibir práticas ilegais que comprometem o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da região.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias