Siga nossas redes sociais

Quinta-feira, 30/06/2022

JH Notícias

Ações do Governo de Rondônia

Mundo

Com tensão em alta, tropas russas avançam para a fronteira ucraniana

As tropas russas estariam se movendo para a região de Donetsk e Lugansk, reconhecidas como independentes pelo presidente Vladimir Putin

WhatsApp

Com o agravamento da crise político-diplomática, o Exército russo estaria deslocando tropas militares para a fronteira da Ucrânia.

A investida foi confirmada por fontes do serviço de inteligência norte-americano ao canal de notícias CNN Internacional e pelo primeiro ministro da Lituânia, Arturs Krišjānis Kariņš, nesta quarta-feira (23/2).

As tropas russas estariam se movendo para as regiões de Donetsk e Lugansk – que o presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu na segunda-feira (21/2) como repúblicas independentes. A comunidade internacional avaliou a decisão como uma ameaça.

O desenho representa um mapa com a Rússia em foco e nas laterais partes da Europa, Ásia e Oriente Médio - Metrópoles

“De acordo com as informações à minha disposição, Putin está movendo forças e tanques adicionais para os territórios ocupados de Donbas”, garantiu o primeiro-ministro da Letônia à TV norte-americana.

Arturs considerou a medida arriscada. “Por qualquer definição, isso é uma travessia de um território soberano para um país vizinho”, resumiu.

egundo a apuração da CNN Internacional, outras duas fontes confirmaram que tropas russas de fato cruzaram a fronteira para a região separatista.

Ações do Governo de Rondônia

“A Rússia mobilizou de um a dois grupos táticos de batalhão, a principal formação de combate da Rússia, cada um com uma média de cerca de 800 soldados, de acordo com um alto funcionário dos EUA”, diz a reportagem.

Comunidade internacional em alerta
Nesta quarta, a assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU) foi tomada por discursos contra o conflito. Representantes da Rússia, Ucrânia, Estados Unidos, além do secretário-geral da entidade, António Guterres, falaram sobre o tema.

Na segunda-feira (21/2), o presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu as regiões separatistas como repúblicas independentes. A decisão foi interpretada como uma ameaça.

Banner publicitário Governo de Rondônia

Com isso, na terça-feira (22/2), países como Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido anunciaram sanções econômicas ao governo russo para isolar Putin.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e a União Europeia fizeram alertas para o risco de uma invasão russa ao território ucraniano. Os europeus fecharam as fronteiras para políticos russos.

Crise em escalada
A Rússia e a Ucrânia vivem um embate por causa da possível adesão ucraniana à Otan, entidade militar liderada pelos Estados Unidos.

Na prática, Moscou vê essa possível adesão como uma ameaça à sua segurança. Os laços entre Rússia, Belarus e Ucrânia existiam desde antes da criação da União Soviética (1922-1991).

Nos últimos dias, a crise aumentou. A Rússia enviou soldados para a fronteira com a Ucrânia, reconheceu duas regiões separatistas ucranianas como repúblicas independentes e tem intensificado as atividades militares. A Rússia invadiu a Ucrânia em 2014, quando anexou a Crimeia ao seu território.

A Ucrânia pediu mais armas aos países do Ocidente, sob o argumento de defesa contra a Rússia. Além disso, convocou militares reservistas e liberou porte de armas a civis.

Banner publicitário da Assembleia Legislativa

Putin, por sua vez, acusa os ucranianos de desenvolverem armas nucleares, o que colocaria a segurança de Moscou em risco.

Curtiu? Siga o JH NOTÍCIAS no Facebook, Instagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias de Rondônia.

Por METROPOLES

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Publicidade
Publicidade Ações do Governo de Rondônia
Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais em Mundo