Search
Close this search box.

JUSTIÇA FEITA – Assassino de Beto Andreoli é condenado a 22 anos de prisão por crime cruel

O Ministério Público de Rondônia ressaltou a motivação banal do crime, a crueldade e a aversão à vida
Publicidade

João Luiz da Silva Filho, 50 anos de idade, foi condenado a 22 anos de cadeia pelo assassinato do jovem Alberto de Carvalho Andreoli (Beto Andreoli) após sentença deferida pelo tribunal do júri do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia – TJ/RO no início da noite desta sexta-feira (19).

João Filho matou de forma cruel Beto Andreoli com dez facadas por conta de uma discussão banal envolvendo um capacete de motocicleta no dia 12 de abril de 2020. Ele estava aguardando julgamento em detenção desde então.

Publicidade

Durante o julgamento, o Ministério Público de Rondônia – MP/RO ressaltou a motivação banal do crime, a crueldade e a aversão à vida pelos fatos apontados relacionados ao crime cometido por João Filho.

Em seu depoimento João Filho afirmou que estava arrependido do crime e se desculpou com a família de Beto Andreoli, mas seu antecedente homicida, que consta em sua ficha criminal com quatro homicídios não convenceu os jurados de sua inocência e nem da alegação de sua defesa de que ele teria agido no “calor do momento”.

João Filho foi levado para o presídio onde começará o cumprimento de sua sentença. Inicialmente sua condenação deveria ser de 23 anos, porém ele teve um ano reduzido de sua pena por ter confessado o crime.

O crime que chocou a sociedade portovelhense pela brutalidade teve um desfecho com sentimento de justiça feita, porém, ainda cabe recurso a defesa do condenado, que mesmo com essa condenação poder ter liberdade condicional em aproximadamente seis anos, isso por conta da legislação penal brasileira vigente.

Anúncie no JH Notícias