Search
Close this search box.
Publicidade

INDÚSTRIA DO PROCESSO – Diretor da Azul enxerga má intenção de advogados em Rondônia

Ele afirmou que existem advogados que ficam no aeroporto estimulando ações contra a empresa
Publicidade

Durante a reunião da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa de Rondônia – ALE/RO, o representante do departamento de relações institucionais da empresa Azul Linhas Aéreas, Camilo Coelho, falou sobre a questão do alto registro de judicialização no estado, que ultrapassa os 15 mil processos em menos de dois anos.

De acordo com Camilo, a Azul constatou que advogados mal-intencionados estariam promovendo uma verdadeira indústria de ações judiciais visando o lucro e deturpando os fundamentos da busca pela Justiça no Estado.

Publicidade

“Há um grupo de pessoas com interesse econômico, tentando tirar vantagem da judicialização excessiva em Rondônia. Tem pessoas que ficam no aeroporto com uma procuração na mão apenas esperando o voo atrasar para oferecer a judicialização ao cliente”, afirmou Camilo Coelho.

Ainda segundo Camilo, esse estimulo feito por advogados que apenas visam tirar proveito da Justiça para conseguir um ganho financeiro facilitado é um dos principais problemas enfrentados pela Azul em Rondônia, estado onde um real é deixado em processos judicias à cada quatro reais faturado pela empresa.

GOL, LATAM e ANAC não compareceram à reunião

Além dos cancelamentos dos voos, a judicialização em Rondônia também levou a Azul tomar outra medida drástica, a suspensão de acordos através de voucher, já que segundo Camilo, essa medida tomada de boa fé pela empresa, acabou resultado na geração de um comércio paralelo.

“Quando decidimos implantar o voucher como ferramenta de negociação, entendemos que eles não deveriam ser nominais, isso para facilitar o voo dos clientes, porém, o que foi uma medida bem-intencionada, acabou se tornando motivo de interesse econômico dessas pessoas, agora nós vamos até o juiz decidir o processo e paramos de fazer acordos com vouchers”, afirmou Camilo Coelho.

Por fim, Camilo deixou claro que veio à Rondônia para buscar uma solução para a questão, já que o interesse da Azul é retomar e ampliar suas atividades em Rondônia, porém um meio termo precisa ser encontrado.

“ Nossos voos em Rondônia estão tomando prejuízo há mais de um ano e meio, por isso que viemos buscar junto ao Estado uma solução para que possamos retomar nosso plano”, finalizou Camilo Coelho.

Vale destacar que a Azul Linhas Aéreas foi a única empresa a mandar representante para a reunião. Gol, Latam e até mesmo a ANAC, não comparecerem e sequer justificaram suas ausência.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias