Notícias de Política

PREVIDÊNCIA – “Reforma se dá com trabalho sério e integração, não culpando trabalhadores”, diz Bosco da Federal

Ex-vereador de Porto Velho e agente da Polícia Federal, Bosco da Federal vem sendo um dos nomes mais lembrados à corrida ao Senado em 2018, porém, ainda não se manifestou sobre o tema, isso devido devido ao exercício de sua atividade profissional. Porém, uma possível candidatura já é dada como certo pelo PODEMOS, legenda encabeçada pelos senadores Álvaro Dias (Paraná) e Romário ( Rio de Janeiro). 


Postado em 27/12/2017 às 13h59min

PREVIDÊNCIA – “Reforma se dá com trabalho sério e integração, não culpando trabalhadores”, diz Bosco da Federal

Adiada para o ano de 2018, mesmo com todo o esforço do presidente Michel Temer (PMDB) em aprovar o projeto, a reforma da previdência é um dos temas mais problemáticos da atual conjuntura política brasileira. Sendo analisada em um Congresso onde uma considerável parte de seus representantes estão envolvidas em escândalos de corrupção ou venda de apoio em troca de emendas, a sociedade anda atordoada sem saber qual será o rumo tomado para a previdência brasileira.

De acordo com Bosco da Federal, representante do sindicato dos policiais federais em Rondônia, o governo não tem a principal ferramenta para tratar esse problema com a seriedade que precisa, um planejamento de gestão eficiente entre todos os institutos no país, já que atualmente mais de cinco mil municípios enfrentam problemas com a previdência.

Com um sistema de dados falhos e falta de equipe técnica qualificada, o governo federal vem tentando tirar sua responsabilidade desse problema e penalizar os trabalhadores brasileiros tentando aprovar às pressas um projeto que ainda necessita de um intenso debate.

“O prejuízo com a má gestão é tao grave quanto a corrupção, uma sempre está vinculada a outra. Um instituto de previdência precisa ter pessoas técnicas em sua administração  para o desenvolvimento de bases de ações que são as fontes imprescindíveis para as informações que irão delinear toda a politica previdenciária. É o corpo e a alma da vida da previdência”, disse Bosco da Federal.

Para Bosco da Federal infelizmente ainda acontece uma gestão de apadrinhamento politico irresponsável, resultando como consequência em prejuízos irreversíveis, dentre elas a corrupção. Um exemplo é a bagunça instaurada no sistema de cadastro, onde muitos erros são cometidos pela falta de resolução de problemas básicos, como a instalação de um banco de dados eficiente.

“O setor de compensação de arrecadação dos aposentados está desatualizado, os impostos inadimplentes, contratos irregulares, gestão de contratos ineficiente, uma auditoria fragilizada, uma perícia inoperante pela falta de estrutura que nada mais é do que a má-gestão. A falta de seriedade com a gestão dos institutos no Brasil é o que leva a deficiência para que a previdência seja superavitária”, disse Bosco da Federal.

A fraca atuação dos congressistas rondonienses dentro desse tema é um motivo de preocupação para Bosco da Federal, que acredita que principalmente dentro do senado, a previdência deveria ser pauta diária, isso para evitar uma grande injustiça seja cometida contra o povo brasileiro.

Bosco da Federal presidiu em um curto espaço de tempo o Instituto de Previdência do município de Porto Velho, decidiu sair por conta própria após perceber que não conseguiria modificar viciadas estruturas do sistema previdenciário que estão comprometidas em uma escala de cima para baixo, por esse motivo ele destacou a importância do Congresso na mudança desse cenário.

“É claro que a previdência precisa ser revista, nas não dentro de um projeto feito sem os devidos debates e participações das entidades de classe, e sociedade em geral, precisamos fazer algo voltado para a melhoria da qualidade de vida do nosso país e não para benefício de meia dúzia. Acredito que um novo tempo poderá surgir em nossa república, porém depende exclusivamente do desejo de mudança de nossa comunidade”, finalizou Bosco da Federal.

Ex-vereador de Porto Velho e agente da Polícia Federal aposentado, Bosco da Federal vem sendo um dos nomes mais lembrados à corrida ao Senado em 2018, porém, ainda não se manifestou sobre o tema, isso devido devido ao exercício de sua atividade sindical. Porém, uma possível candidatura já é dada como certo pelo PODEMOS, legenda encabeçada pelos senadores Álvaro Dias (Paraná) e Romário ( Rio de Janeiro).

Na corrida ao governo ao lado de Bosco, poderá estar o promotor de justiça, Héverton Aguiar.

Fonte: JH Notícias



MAIS NOTÍCIAS DE Política