Sábado, 16 de Novembro de 2019

Notícias de Rondônia

ASSISTA: dizendo-se “cidadão boliviano”, ex-deputado de Rondônia usa vídeo em redes sociais e pede votos para Evo Morales

Postado em 21/10/2019 às 15h35min


ASSISTA: dizendo-se “cidadão boliviano”, ex-deputado de Rondônia usa vídeo em redes sociais e pede votos para Evo Morales

O ex-deputado estadual de Rondônia, empresário Cesar Cassol, divulgou um vídeo nas redes sociais em apoio à reeleição do presidente da Bolívia, Evo Morales. Cesar diz que tem cidadania boliviana, faz elogios ao presidente Evo e dá uma de cabo eleitoral do presidente, que ontem foi às urnas tentando conquistar seu quarto mandato.

O ex-deputado fala bem sobre estabilidade econômica do país; diz que lá não existe inflação, que o dólar é estável, que por conta da carga tributária ser menor que as praticadas no Brasil, os brasileiros encontram na Bolívia faculdades de medicina custando o equivalente a 10% do valor que é cobrado pelo curso de medicina no Brasil. O vídeo está com milhares de visualizações.

Cesar é empresário na Bolívia: ele exporta calcário para o país vizinho e está com otimista com a estrada ligando a fronteira brasileira com a Bolívia em Costa Marques, no interior de Rondônia, ligando o Brasil a La Paz, capital boliviana.

Cesar é filho do ex-deputado federal Reditário Cassol, que ganhou notoriedade na mídia nacional, quando defendeu trabalho forçado para preso e chicotadas por mal comportamento. César é irmão do ex-senador e ex-governador de Rondônia, Ivo Cassol, e irmão da atual deputada federal Jaqueline Cassol, todos do PP.

Antes de investir milhões de reais na Bolívia, César era prefeito de Rolim de Moura, eleito em 2012, mas renunciou ao mandato. Ele começou sua vida pública como prefeito de Santa Luzia do Oeste, nos anos 1980.

VAI TER 2º TURNO?

A apuração dos votos no pleito boliviano foi iniciada ontem, pouco depois do fechamento das urnas. Até o momento em que foi suspensa, a votação mostrava Morales com 8% à frente do ex-presidente do país. Para liquidar a disputa em primeiro turno, ele precisaria fazer 50% dos votos ou colocar 10 pontos de vantagem sobre o adversário.

A apuração prossegue hoje e, se não vencer no primeiro turno, o atual presidente boliviano vai encarar uma acirrada briga em dezembro. Nos três pleitos anteriores, ele venceu com facilidade na primeira votação. Caso as projeções se confirmem, Evo e Mesa voltam às urnas em dezembro.

Por Folha de Rondônia