Search
Close this search box.

Olivia Rodrigo é a artista revelação do Grammy 2022; veja os vencedores

A jovem cantora, alçada ao estrelato no início do ano passado, venceu ainda o prêmio de melhor performance solo de pop com "drivers license", single que ela apresentou no início da cerimônia.
Publicidade

Olivia Rodrigo venceu o prêmio de artista revelação na 64ª cerimônia do Grammy, que ocorre neste domingo (3), em Los Angeles, nos Estados Unidos. Esta é a segunda categoria mais importante da premiação.

A jovem cantora, alçada ao estrelato no início do ano passado, venceu ainda o prêmio de melhor performance solo de pop com “drivers license”, single que ela apresentou no início da cerimônia.

Publicidade

Rodrigo, no entanto, foi desbancada na categoria mais importante do Grammy, música do ano, que premiou “Leave The Door Open”, do duo Silk Sonic, formado por Bruno Mars e Anderson Paak. Ela concorria com “drivers license”.

Este troféu premia a melhor composição, enquanto o prêmio de gravação do ano laureia o melhor registro da composição, ou seja, o fonograma.

Além de Rodrigo, o duo concorreu ainda com “Bad Habits”, de Ed Sheeran, “A Beautiful Noise”, de Alicia Keys e Brandi Carlile, “Fight for You”, de H.E.R., “Happier than Ever”, de Billie Eilish, “Kiss Me More”, de Doja Cat e SZA, “Montero (Call Me By Your Name)”, de Lil Nas X, “Peaches”, de Justin Bieber com Daniel Caesar & Giveon, e “Right On Time”, de Brandi Carlile.

Este foi o terceiro prêmio que o Silk Sonic venceu na noite. “Leave The Door Open” também levou melhor canção de R&B e melhor performance de R&B, num empate com “Pick Up Your Feelings”, de Jazmine Sullivan. Essas categorias foram anunciadas mais cedo, na pré-cerimônia.

O grupo ainda se apresentou durante o início do Grammy, acompanhado pelo o guitarrista brasileiro Mateus Asato, que nasceu em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e vive há quase uma década nos Estados Unidos.

Mais cedo, o The Weeknd também ganhou um Grammy, mesmo depois de boicotar e atacar a cerimônia publicamente. Ele é um dos que participam da música de “Hurricane”, de Kanye West, que ainda conta com versos de Lil Baby. Ela levou o prêmio de melhor performance de rap melódico.

Desde que foi esnobado pela Academia na premiação de 2021, ele tem dito que o Grammy é corrupto e não apareceu mais no evento. Weeknd, aliás, não submete mais seus discos e músicas para avaliação da premiaão -e só ganhou porque participou da faixa de West.

A Academia de Artes e Gravação entrega as estatuetas da 64ª cerimônia do Grammy neste domingo (3). A pré-cerimônia começou às 17h e revelou os vencedores em dezenas de categorias. Às 21h, começaram a ser entregues os prêmios das categorias principais, em uma cerimônia presencial, com plateia.

West, que ainda concorre em álbum do ano , já ganhou dois prêmios na pré-cerimônia. Ele venceu em melhor música de rap, com “Jail”, parceria com Jay-Z, além da música com The Weeknd. Em melhor álbum de rap, perdeu para Tyler the Creator, dono do disco “Call Me If You Get Lost”, que chegou à segunda vitória na categoria na carreira.

Curiosamente, Kanye West também já publicou um vídeo fazendo xixi numa estatueta do Grammy, em 2020.

O Foo Fighters, que cancelou a apresentação no Grammy devido à morte recente do baterista Taylor Hawkins, também levou prêmios na pré-cerimônia. A banda ganhou em melhor performance de rock, com “Making A Fire”, melhor música de rock, com “Waiting On A War”, e melhor disco de rock, com “Medicine At Midnight”.

Entre os indicados para a cerimônia principal, todos os olhos estão voltados para Olivia Rodrigo, de 19 anos. Além de concorrer como artista revelação, Rodrigo é a única que neste ano disputa todas as três categorias mais importantes -álbum, música e gravação do ano, frutos de “Sour”, seu primeiro disco.

E ela já levou a primeira estatueta de sua carreira para casa. Rodrigo ganhou em melhor performance solo pop, batendo Billie Eilish, Justin Bieber e Ariana Grande, com o hit “drivers license”, que estourou no TikTok e a alçou à fama.

Se Rodrigo levar os principais prêmios da noite, ela pode trilhar os mesmos passos de Billie Eilish, outra revelação, que, quando tinha 18 anos, varreu a premiação no ano retrasado ao vencer as categorias principais com o álbum “When We All Fall Asleep, Where Do We Go?”. Eilish, aliás, concorre neste ano com seu último disco, “Happier Than Ever”.

Depois de ter sido adiado em alguns meses, o Grammy volta ao mundo de carne e osso com a presença do público. Veja abaixo, em tempo real, as estatuetas já entregues, os indicados às demais categorias e os artistas que já passaram pelo tapete vermelho.
*
OS VENCEDORES

Artista revelação: Olivia Rodrigo

Melhor clipe: “Freedom”, de John Batiste

Melhor filme musical: “Summer Of Soul (…Ou, Quando A

Revolução Não Pôde Ser Televisionada)”, dirigido por Questlove

Melhor performance global de música: “Mohabbat”, de Arooj Aftab

Melhor álbum de música global: “Mother Nature”, de Angelique Kidjo

Melhor performance solo de pop: “Drivers license”, de Olivia Rodrigo

Melhor álbum vocal de pop tradicional: “Love For Sale”, de Tony Bennett e Lady Gaga

Melhor música de rock: “Waiting On A War”, de Dave Grohl, Taylor Hawkins, Rami Jaffee, Nate Mendel, Chris Shiflett e Pat Smear, compositores do Foo Fighters

Melhor álbum de rock: “Medicine At Midnight”, do Foo Fighters

Melhor performance de rock: “Making A Fire”, do Foo Fighters

Melhor música de rap: “Jail”, de Kanye West e Jay Z

Melhor álbum de rap: “Call Me If You Get Lost”, de Tyler, the Creator

Melhor performance de rap melódico: ​”Hurricane” Kanye West, com The Weekend e Lil Baby

Melhor álbum de pop latino: “Mendó”, de Alex Cuba

Melhor álbum de música urbana: “El Último Tour Del Mundo”, de Bad Bunny

Melhor álbum de teatro musical: “The Unofficial Bridgerton Musical”

Melhor compilação de trilha sonora para mídia visual: “The United States Vs. Billie Holiday”

Melhor trilha sonora original: empate entre “Soul”, de Jon Batiste, e “O Gâmbito da Rainha”, de Carlos Rafael Rivera

Melhor canção escrita para mídia visual: “All Eyes On Me [From Inside]”, de Bo Burnham

Melhor álbum de áudio imersivo: “Soundtrack of the American Soldier”, de Jim R. Keene

Melhor composição instrumental: “Eberhard”, de Lyle Mays

Melhor arranjo instrumental ou a capella: “Meta Knight’s Revenge”, do jogo “Kirby Superstar”

Melhor arranjo de instrumentos e vocais: “To The Edge Of Longing (Edit Version)”, de Vince Mendonza

Melhor álbum de new age: “Divine Tides”, de Stewart Copeland e Ricky Kej

Melhor solo de jazz improvisado: “Humpty Dumpty (set 2)”, de Chick Corea

Melhor álbum instrumental de jazz: “Skyline”, de Ron Carter e Jack DeJohnette

Melhor álbum de um grupo de jazz: “For Jimmy, Wes And Oliver”, de Christian McBride Big Band

Melhor álbum vocal de jazz: “Songwrights Apothecary Lab”, de Esperanza Spalding

Melhor álbum de jazz latino: “Mirror Mirror”, de Eliane Elisa

Melhor performance de metal: “The Alien”, do Dream Theater

Melhor performance solo de country: “You Should Probably Leave”, de Chris Stapleton

Melhor performance de country em dupla ou em grupo: “Younger Me”, dos irmãos Osborne

Melhor canção de country: “Cold”, de Dave Cobb

Melhor performance de American roots: “Cry”, de Jon Batiste

Melhor canção de American roots: “Cry”, de Jon Batiste

Melhor álbum de americana: “Native Sons”, da banda Los Lobos

Melhor álbum de bluegrass: “My Bluegrass Heart”, de Béla Fleck

Melhor álbum de blues tradicional: “I Be Trying”, de Cedric Burnside

Melhor álbum de blues contemporâneo: “662”, de Christone “Kingfish” Ingram

Melhor álbum de folk: “They’re Calling Me Home”, de Rhiannon Giddens com Francesco Turrisi

Melhor álbum de roots music regional: “Kau Ka Pe’a”, de Kalani Pe’a

Melhor álbum de reggae: “Beauty In The Silence”, da banda SOJA

Melhor gravação de dance ou música eletrônica: “Alive”, da banda Rüfüs Du Sol

Melhor álbum de dance ou música eletrônica: “Subconsciously”, do DJ Black Coffee

Melhor álbum de música alternativa: “Daddy’s Home”, de St. Vincent

Melhor canção R&B: “Leave The Door Open”, de Silk Sonic

Melhor álbum R&B progressivo: “Table For Two”, de Lucky Daye

Melhor performance de R&B: empate de “Leave The Door Open”, de Silk Sonic, e “Pick Up Your Feelings”, de Jazmine Sullivan

Melhor performance de R&B tradicional: “Fight For You”, da H.E.R

Melhor pacote de gravação: “Pakelang”, de Li Jheng Han, Yu e Wei

Melhor box ou edição limitada especial: “All Things Must Pass: 50th Anniversary Edition”, de Darren Evans, Dhani Harrison e Olivia Harrison

Melhor notas de álbum: “The Complete Louis Armstrong Columbia And RCA Victor Studio Sessions 1946-1966”, de Ricky Riccardi

Melhor álbum histórico: “Joni Mitchell Archives, Volume 1: The Early Years”, de Patrick Milligan e Joni Mitchell como produtores e Bernie Grundman como engenheiro de masterização

Melhor engenharia de som de álbum não-clássico: “Love For Sale Dae Bennett”, dos engenheiros Josh Coleman e Billy Cumella e dos engenheiros de masterização Greg Calbi e Steve Fallone

Melhor gravação remixada não-clássica: “Passenger”, de Mike Shinoda

Melhor álbum de áudio imersivo: “Alicia”, dos engenheiros de mixagem imersiva George Massenburg e Eric Schilling, do engenheiro de masterização imersiva Michael Romanowski e da produtora de imersão Ann Mincieli

Melhor performance ou canção de gospel: “Never Lost”, de CeCe Wians

Melhor performance ou canção de música cristã contemporânea: “Believe For It”, de CeCe Winans

Melhor álbum de gospel: “Believe For It”, de CeCe Winans

Melhor álbum de música cristã contemporânea: “Old Church Basement”, de Elevation Worship e Maverick City Music

Melhor álbum de rock latino ou música alternativa: “Origen”, de Juanes

Melhor álbum de música regional mexicana, incluindo Tejano: “A Mis 80’s”, de Vicente Fernandez

Melhor álbum instrumental contemporâneo: “Tree Falls”, de Taylor Eigsti

Melhor álbum latino de música tropical: “Salswing!”, de Rubén Blades e Roberto Delgado

Melhor álbum vocal, incluindo poesia, audiolivro e narração: “Carry On: Reflections For A New Generation”, de John Lewis, narrado por Don Cheadle

Melhor engenharia de álbum clássico: “Chanticleer Sings Christmas”, de Leslie Ann Jones e Michael Romanowski

Melhor álbum de comédia: “Sincerely Louis CK’ Louis”, de Louis C.K.

Melhor gravação de ópera: “Glass: Akhnaten”

Melhor produtor clássico: Judith Sherman

Melhor produtor não clássico: Jack Antonoff

Melhor álbum infantil: “A Colorful World”, da Falu

Melhor performance de coro: “Mahler: Symphony No. 8″, por Gustavo Dudamel”

Melhor performance de música de câmara: “Yo Yo Ma”

Melhor solo instrumental clássico: “Alone Together”, de Jennifer Koh

Melhor álbum vocal solo clássico: “Mythologies”, de Sangeeta Kaur e Hila Plitmann

Melhor compêndio clássico: “Woman Warriors – Voices of Change”, de Amy Andersson, Amy Andersson, Mark Mattson e Lolita Ritmanis

Melhor composição clássica contemporânea: “Shaw: Narrow Sea”, de Caroline Shaw

OS INDICADOS

Álbum do ano

“We Are” – Jon Batiste
“Love For Sale” – Tony Bennett & Lady Gaga
“Justice (Triple Chucks Deluxe)” – Justin Bieber
“Planet Her (Deluxe)” – Doja Cat
“Happier Than Ever” – Billie Eilish
“Back Of My Mind” – H.E.R.
“Montero” – Lil Nas X
“Sour” – Olivia Rodrigo
“Evermore” – Taylor Swift
“Donda” – Kanye WestCanção do ano
“Bad Habits” – Ed Sheeran
“A Beautiful Noise” – Alicia Keys & Brandi Carlile
“Drivers license” – Olivia Rodrigo
“Fight For You” – H.E.R.
“Happier Than Ever” – Billie Eilish
“Kiss Me More” – Doja Cat e SZA
“Leave The Door Open” – Silk Sonic
“Montero (Call Me By Your Name)” – Lil Nas X
“Peaches” – Justin Bieber com Daniel Caesar & Giveon
“Right On Time” – Brandi Carlile

Gravação do ano

‘”I Still Have Faith In You” – ABBA
“Freedom” – Jon Batiste
“I Get A Kick Out Of You” – Tony Bennett & Lady Gaga
“Peaches” – Justin Bieber com Daniel Caesar & Giveon
“Right On Time” – Brandi Carlile
“Kiss Me More” – Doja Cat e SZA
“Happier Than Ever” – Billie Eilish
“Montero (Call Me By Your Name)” – Lil Nas X
“Drivers license” – Olivia Rodrigo
“Leave The Door Open” – Silk Sonic

Artista revelação

Arooj Aftab
Jimmie Allen
Baby Keem
FINNEAS
Glass Animals
Japanese Breakfast
The Kid LAROI
Arlo Parks
Olivia Rodrigo
Saweetie

Melhor performance solo pop

Anyone – Justin Bieber
Right On Time – Brandi Carlile
Happier Than Ever – Billie Eilish
Positions – Ariana Grande
drivers license – Olivia Rodrigo

Melhor performance em grupo ou dupla de pop

I Get A Kick Out Of You – Tony Bennett & Lady Gaga
Lonely – Justin Bieber & benny blanco
Butter – BTS
Higher Power – Coldplay
Kiss Me More – Doja Cat Featuring SZA

Melhor álbum vocal de pop

Justice (Triple Chucks Deluxe) – Justin Bieber
Planet Her (Deluxe) – Doja Cat
Happier Than Ever – Billie Eilish
Positions – Ariana Grande
Sour – Olivia Rodrigo

Mehor álbum vocal tradicional de pop

Love For Sale – Tony Bennett & Lady Gaga
Til We Meet Again (Live) – Norah Jones
A Tori Kelly Christmas – Tori Kelly
Ledisi Sings Nina – Ledisi
That’s Life – Willie Nelson
A Holly Dolly Christmas – Dolly Parton

Melhor performance de rock

Shot In The Dark – AC/DC
Know You Better (Live From Capitol Studio A) – Black Pumas
Nothing Compares 2 U – Chris Cornell
Ohms – Deftones
Making A Fire – Foo Fighters

Melhor performance de heavy metal

Genesis – Deftones
The Alien – Dream Theater
Amazonia – Gojira
Pushing The Tides – Mastodon
The Triumph Of King Freak (A Crypt Of Preservation And Superstition) – Rob Zombie

Melhor música de rock

All My Favorite Songs – Weezer
The Bandit – Kings Of Leon
Distance – Mammoth WVH
Find My Way – Paul McCartney
Waiting On A War – Foo Fighters

Melhor álbum de rock

Power Up – AC/DC
Capitol Cuts – Live From Studio A – Black Pumas
No One Sings Like You Anymore Vol. 1 – Chris Cornell
Medicine At Midnight – Foo Fighters
McCartney III – Paul McCartney

Melhor álbum alternativo

Shore – Fleet Foxes
If I Can’t Have Love, I Want Power – Halsey
Jubilee – Japanese Breakfast
Collapsed In Sunbeams – Arlo Parks
Daddy’s Home – St. Vincent

Melhor performance de R&B
Lost You – Snoh Aalegra
Peaches – Justin Bieber Featuring Daniel Caesar & Giveon
Damage – H.E.R.
Leave The Door Open – Silk Sonic
Pick Up Your Feelings – Jazmine Sullivan

Melhor performance de R&B tradicional

I Need You – Jon Batiste
Bring It On Home To Me – BJ The Chicago Kid, PJ Morton & Kenyon Dixon Featuring Charlie Bereal
Born Again – Leon Bridges Featuring Robert Glasper
Fight For You – H.E.R.
How Much Can A Heart Take – Lucky Daye Featuring Yebba

Melhor música de R&B

Damage – H.E.R.
Good Days – SZA
Heartbreak Anniversary – Giveon
Leave The Door Open – Silk Sonic
Pick Up Your Feelings – Jazmine Sullivan

Melhor álbum de R&B progressivo

New Light – Eric Bellinger
Something To Say – Cory Henry
Mood Valiant – Hiatus Kaiyote
Table For Two – Lucky Daye
Dinner Party: Dessert – Terrace Martin, Robert Glasper, 9th Wonder & Kamasi Washington
Studying Abroad: Extended Stay – Masego

Melhor álbum de R&B

Temporary Highs In The Violet Skies – Snoh Aalegra
We Are – Jon Batiste
Gold-Diggers Sound – Leon Bridges
Back Of My Mind – H.E.R.
Heaux Tales – Jazmine Sullivan

Melhor álbum de rap

“The Off-Season” – J. Cole
“King’s Disease II” – Nas
“Call Me If You Get Lost” – Tyler, the Creator
“Donda” – Kanye West

Melhor música de rap

“Bath Salts” – DMX featuring JAY-Z and Nas
“Best Friend” – Saweetie featuring Doja Cat
“Family Ties” – Baby Keem featuring Kendrick Lamar
“Jail” – Kanye West featuring JAY-Z
“M Y .L I F E” – J. Cole featuring 21 Savage and Morray

Melhor performance de rap

“Family Ties” – Baby Keem featuring Kendrick Lamar
“Up” – Cardi B
“M Y .L I F E” – J. Cole featuring 21 Savage and Morray
“Thot Shit” – Megan Thee Stallion

Melhor performance de rap melódico

“P R I D E. I S. T H E. DEVIL” – J. Cole featuring Lil Baby
“Need to Know” – Doja Cat
“Industry Baby” – Lil Nas X featuring Jack Harlow
“WUSYANAM” – Tyler, the Creator featuring YoungBoy Never Broke Again and Ty Dolla $ign
“Hurricane” Kanye West featuring The Weekend and Lil Baby

Melhor gravação dance/eletrônica

“Hero” – Afrojack e David Guetta
“Loom” – Olafur Arnalds e Bonobo
“Before” – James Blake
“Heartreak” – Bonoro e Totally Extinct Dinossaurs
“You can do it” – Caribou
“Alive” – Rufus du Sol
“The Business” – Tiesto

Melhor álbum de dance/eletrônica
“Subconsciously” – Black Coffee
“Fallen Embers” – Illenium
“Music Is the Weapon (Reloaded)” – Major Lazer
“Shockwave” – Marshmello
“Free Love” – Sylvan Esso
“Judgement” – Ten CityMelhor álbum de folk
One Night Lonely (Live) – Mary Chapin Carpenter
Long Violent History – Tyler Childers
Wednesday (Extended Edition) – Madison Cunningham
They’re Calling Me Home – Rhiannon Giddens with Francesco Turrisi
Blue Heron Suite – Sarah Jaros

Melhor álbum de pop latino
Vértigo – Pablo Alborán
Mis Amores – Paula Arenas
Hecho A La Antigua – Ricardo Arjona
Mis Manos – Camilo
Mendó – Alex Cuba
Revelación- Selena Gomez

Melhor álbum de música urbana
Afrodisíaco – Raw Alejandro
El Último Tour Del Mundo – Bad Bunny
Jose – J Balvin
KG0516 – Karol G
Mendó – Alex Cuba
Sin Miedo (Del Amor y Otros Demonios) 8 – Kali UchisProdutor do ano, não clássico
Jack Antonoff
Hit-Boy
Ricky Reed
Mike Elizondo
Rogèt Chahayed

Anúncie no JH Notícias