Search
Close this search box.

Homem que abusou sexualmente de filha com deficiência em Rondônia é preso no MT

A jovem, de 19 anos, contou à mãe que quando a família ainda morava na cidade de Cacoal, em Rondônia, foi abusada sexualmente pelo pai, um ano antes de se mudarem para Mato Grosso.
Publicidade

Um homem de 42 anos foi preso preventivamente pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (20.07), em Rondolândia, no noroeste de Mato Grosso, pelo crime de estupro contra a filha, que tem deficiência intelectual. O crime foi denunciado à Delegacia de Rondolândia, em maio do ano passado, pela mãe da vítima, quando a filha tomou coragem e contou sobre os abusos sofridos.

A jovem, de 19 anos, contou à mãe que quando a família ainda morava na cidade de Cacoal, em Rondônia, foi abusada sexualmente pelo pai, um ano antes de se mudarem para Mato Grosso. Depois, já em Rondolândia, o criminoso voltou a cometer os atos novamente.

Publicidade

A vítima relatou ainda que o pai a chantageava e fazia ameaças caso contasse a alguém sobre o que ocorria e, pelo medo, ela não contou antes o que vinha ocorrendo. A jovem disse também que o pai se aproveitava dos momentos em que ficava em casa sozinho com a filha e a forçava a atos sexuais, quando ela tentava fugir, mas ele a subjugava, mesmo diante das negativas da vítima.

Ouvidas na delegacia, mãe e filha contaram que o investigado U.S.S. sempre foi agressivo e quando se enfurecia, quebrava objetos da residência e, em uma das ocasiões, tentou explodir a casa com a família dentro, quando cortou a mangueira do botijão de gás e tentou atear fogo.

A Polícia Civil encaminhou a vítima para exames e acompanhamento psicológico, que apontou que ela apresentou atraso no desenvolvimento cognitivo e intelectual, o que caracteriza a situação de vulnerabilidade.

Com base nos elementos coletados durante a investigação, o delegado Mateus Reiners representou à Justiça pela prisão do investigado que responde aos crimes de estupro e ameaça.

“O suspeito ameaçava a vítima e se revelasse algo, ela sabia o que aconteceria, resultando uma incapacidade de reação mediante pressão exercida pelo agressor, pontou o delegado.

A prisão preventiva foi decretada pelo juízo da Comarca de Comodoro, que citou a materialidade e indícios suficientes de autoria do crime e a necessidade e da medida constritiva de liberdade para assegurar a aplicação da lei penal.

Fonte: PC/MT

 

Anúncie no JH Notícias