Notícias de Política

ELEIÇÕES – Apontado por improbidade, máfia e corrupção eleitoral, Garçom tentará voltar ao Congresso

Muitas vezes alvo de chacota nas redes sociais pelo “desespero” que mostra em aparecer nos enquadramentos das câmeras de televisão ou nos palcos de inauguração de obras públicas, o deputado terá um árduo trabalho pela frente e já vem percebendo que os tempos são outros.


Postado em 21/01/2018 às 11h31min

ELEIÇÕES – Apontado por improbidade, máfia e corrupção eleitoral, Garçom tentará voltar ao Congresso

As eleições 2018 promete surpreender muitos políticos acostumados com a antiga forma assistencialista de campanha eleitoral, cansados da falta de atuação efetivas dos parlamentares em Brasília e de representantes públicos enrolados até o pescoço na justiça, os rondonienses poderão promover significantes mudanças a partir de 2019.

Entre os políticos vistos com desconfiança pela comunidade está o deputado federal Lindomar Garçom (PMN), outrora considerado uma das personalidades públicas de maior prestigio entre as comunidades carentes do estado, Garçom foi se perdendo em meio à uma esquema de política assistencialista que já não é mais tolerado pelos eleitores.

O deputado assumiu a cadeira no Congresso sob suspeita de ter pago mototaxistas para comprarem votos no dia da eleição em 2014, a denuncia foi arquivada e o deputado segurou-se no cargo utilizado para votar contra o pedido de investigação do presidente Michel Temer (PMDB).

Garçom também responde por processo que o acusa de participar de uma quadrilha que desviou dinheiro destinado para aquisição de ambulâncias, isso no período em que foi prefeito da cidade de Candeias do Jamari, interior de Rondônia. Em 2011, Garçom teve as contas do partido que presidia, o PV, reprovadas e também respondeu na justiça.

Crimes de corrupção eleitoral, improbidade administrativa e participação de máfia, são algumas das acusações que já foram imputadas ao deputado, que pretende pleitear mais quatro anos representando o estado de Rondônia em Brasilia. Vale lembrar, que o deputado prometeu aos servidores públicos que se mobilizaria para que fosse realizada a tão sonhada transposição, fato que por descuido da bancada de RO apenas aconteceu para os estados de Amapá e Roraima.

Muitas vezes alvo de chacota nas redes sociais pelo “desespero” que mostra em aparecer nos enquadramentos das câmeras de televisão ou nos palcos de inauguração de obras públicas, o deputado terá um árduo trabalho pela frente e já vem percebendo que os tempos são outros.

Fonte: JH Notícias



MAIS NOTÍCIAS DE Política