Notícias de Política

SEGURANÇA – Bosco da Federal propõe criação de Centro de Formação Policial em Porto Velho

Ex-chefe de inteligência da PF, Bosco da Federal é um especialista na área, além de um exímio articulador político, fatores preponderantes para a execução de propostas dessa natureza. Ainda de acordo com ele, essa ação inicial pode reduzir consideravelmente a criminalidade no estado, além de quase anular as estatísticas de policiais feridos ou mortos em confrontos violentos.

Postado em 10/04/2018 às 12h39min


SEGURANÇA – Bosco da Federal propõe criação de Centro de Formação Policial em Porto Velho

O anuncio do PPS em Rondônia, que apresentou o ex-vereador e agente da PF aposentado, Bosco da Federal, como pré-candidato ao Senado no pleito 2018, foi recebido com bastante empolgação por membros do partido e entusiastas da Segurança Pública no estado, que passaram a enxergar uma nova perspectiva de valorização dos agentes de segurança pública rondonienses.

De acordo com Bosco da Federal, um plano está sendo elaborado e logo em breve será levado à debate para a comunidade, visando uma total e necessária renovação na política de segurança em Rondônia. Entre os diversos temas abordados, um deles é tratado como prioridade, a criação do Centro de Formação de Segurança Público – CFSP.

“Em breve a comunidade rondoniense poderá conhecer o projeto de segurança que pretendo aplicar em nosso estado, sei da urgência de ações efetivas para estancar a violência, preservar nossa fronteira e garantir a dignidade de vida das famílias, para isso basta integração, compromisso com o povo e vontade de mudança”, afirmou Bosco da Federal.

Esse polo de formação de agentes de segurança ficaria localizado na cidade de Porto Velho e transformaria o estado de Rondônia em referência na formação de Bombeiros e policiais militares, além de agentes da Polícia Civil e do sistema penitenciário, padronizando as ações e qualificando constantemente esses profissionais.

Implantado, o projeto extinguiria as academias no estado e todas as formações passariam pelo Centro, que manteria a autonomia de cada uma das instituições, porém, entregaria PM’s, PC’s e BM’s e AGEPENS com o mesmo treinamento, fato que permitiria uma uniformização nas ações policiais em todos os setores.

A instalação desse Centro contaria com verbas oriundas de emendas e recursos do Ministério da Justiça, que poderia dar sequência ao projeto em outros estados tomando Rondônia como modelo, além de assegurar uma integração nos serviços de inteligência operacional, cruzando dados e promovendo ações combinadas entre as forças policiais.

“O governo de Rondônia através de convenio com o Ministério da Justiça pode criar uma grade curricular para uniformizar as ações de inteligência, operacionais e capacitação, em especial os policiais que atuam nas cidades de fronteira, integrando as investigações, operações e inteligência nos crimes transfronteiriços, no combate ao tráfico de drogas e de armas. Isso, aliado à uma perspectiva na promoção por meritocracia na carreira policial, uma modernização e investimento nos profissionais do sistema penitenciário, com o plano de cargos e salários e mudança na legislação para que o Agepen seja incluído com as mesmas prerrogativas e direitos do agente de Segurança Pública.“, afirmou Bosco da Federal.

Ex-chefe de inteligência da PF, Bosco da Federal é um especialista na área, além de um exímio articulador político, fatores preponderantes para a execução de propostas dessa natureza. Ainda de acordo com ele, essa ação inicial pode reduzir consideravelmente a criminalidade no estado, além de quase anular as estatísticas de policiais feridos ou mortos em confrontos violentos.

Fonte: Assessoria