Search
Close this search box.

CASA CAIU – Homem suspeito de matar a facadas mãe de PM é preso

De acordo com Polícia Civil, sobrinho do suposto criminoso, que seria comparsa dele, já foi preso em flagrante. Família aponta vingança
Publicidade

Um suspeito de matar uma idosa, mãe de um policial militar do Tocantins, foi preso, na segunda-feira (7/3), em um bar em Nova Crixás, no norte de Goiás, a 376 km da capital. Segundo a investigação, Luzia Ferreira Dias, de 75 anos, foi morta durante um suposto latrocínio, motivado por vingança, no fim do Carnaval, há seis dias, em Barrolândia, a 82 km de Palmas.

A Polícia Civil de Goiás prendeu o suspeito, que deverá ser levado de volta para o Tocantins. Segundo a investigação, no dia do crime, o suspeito teria invadido a casa da idosa e desferido golpes contra ela. Em seguida, ele incendiou a residência. O sobrinho dele já havia sido preso em flagrante horas.

Publicidade

O crime aconteceu em uma casa na Avenida Bernardo Sayão, no centro da cidade. A família suspeita que o crime foi praticado por vingança, por acreditar que a morte tenha relação com uma ocorrência atendida pelo militar, filho da vítima, há algum tempo. Na época, o PM teria entrado em confronto com um suspeito que acabou morrendo.

Segundo a investigação, além de matar a idosa e cortar a mangueira de gás para incendiar a casa, os criminosos ainda vasculharam o imóvel e fugiram levando documentos e dinheiro da vítima. O revólver do militar também tinha sido levado.

A PM informou que, durante as buscas. uma equipe localizou e prendeu o primeiro suspeito, um homem de 21 anos, em Miranorte, a 38 km de Barrolândia. Com ele foram encontrados os objetos roubados e a arma do militar.

A polícia informou que o homem assumiu a autoria do crime e disse que agiu junto com um tio. O suspeito foi levado para a Central de Flagrantes de Paraíso do Tocantins, e o segundo envolvido seguia sendo procurado até a publicação desta reportagem.

A investigação está sob responsabilidade da Polícia Civil do Tocantins, estado em que o crime foi praticado.

A polícia goiana somente interveio no caso porque o suspeito fugiu para o município de Nova Crixás, na tentativa de se isentar do crime.

A equipe de investigação não divulgou os nomes da vítima, do PM que é filho dela, e do suspeito. Por isso, o jornal não encontrou o contato da defesa deles, mas o espaço segue aberto para manifestações.

Anúncie no JH Notícias